Assistimos ao espetáculo Preta Bigode Bar, em Crato-CE

Na noite de ontem, 25 de agosto, no Velozos Bar, o SESC Crato, apresentou mais uma edição da peça Preta Bigode Bar, sendo como sempre casa cheia. A tragicomédia traz histórias entrelaçadas, do cotidiano das personagens, mostrando pessoas clássicas e comuns que são estigmatizadas e invisibilidades diariamente pela sociedade Patriarcal. Preta Bigode Bar dá um …




Foto: Erika Souza

Na noite de ontem, 25 de agosto, no Velozos Bar, o SESC Crato, apresentou mais uma edição da peça Preta Bigode Bar, sendo como sempre casa cheia. A tragicomédia traz histórias entrelaçadas, do cotidiano das personagens, mostrando pessoas clássicas e comuns que são estigmatizadas e invisibilidades diariamente pela sociedade Patriarcal.

Foto: Erika Souza

Preta Bigode Bar dá um tapa na cara dessa sociedade quando aborda, no seu belíssimo texto, temas como Machismo, “Ideologia de Gênero”, Homofobia, Prostituição e Violência contra Mulher, violência esta que tem se intensificado no Cariri Cearense.

Não há como não se emocionar e interagir com as personagens, até porque a peça instiga a isso, o público reage com gritos, palmas, assobios, vaias, sensações que o público experimenta a cada cena representada pelo magnifico corpo de atores da companhia Ortaet-Núcleo Cariri.

Foto: Erika Souza

Assim sendo Preta Bigode Bar é um espetáculo a ser visto e revisto, uma fez que trás temas atuais, inquietantes e conflitantes, chamando a reflexão sobre os mesmos. Se ainda não viu, o faça imediatamente e com certeza sairás um ser pelo menos mais “Humano”!

Parabéns a [email protected] que fazem parte do elenco de atuação e composição do espetáculo!

Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Yaskara Rodrigues
Carregar Mais Em Teatro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre Yaskara Rodrigues

Educadora popular, artesã especialidade bonecas que remetem a cultura negra, graduada em letras, mulher, negra e de terrerio. Militante do movimente negro GRUNEC, movimentos culturais Zabumbar e maracatu Uniu Erê. Pesquisadora com trabalhos desenvolvidos e publicados com comunidades de povos tradicionais.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.